Drones x Manejo integrado de pragas: como correlacionar?

Olá a todos os amigos da agricultura digital!

Essa semana, vamos conversar sobre a relação entre o monitoramento da lavoura através do mapeamento aéreo com drones e o manejo integrado de pragas, e como podemos utilizar essas ferramentas para tornar o controle de pragas e doenças mais eficiente e mais econômico para o produtor rural. Boa leitura!

Segundo o PROMIP, o MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) é um conceito que foi instituído na década de 1960 pela comunidade científica, para a otimização do controle de pragas agrícolas (ácaros, insetos, doenças e plantas daninhas). O termo refere-se à integração de diferentes ferramentas de controle, tais como os produtos químicos, agentes biológicos (predadores, parasitóides e entomopatógenos - bactérias, fungos ou vírus), extratos de plantas, feromônios, variedades de plantas resistentes a pragas, manejo cultural, plantas iscas, liberação de machos estéreis (TIE), dentre outras. O emprego conjunto de todas essas ferramentas, de maneira planejada e em harmonia, é a base para solidez de um programa de MIP.

Para implantarmos um programa de MIP, devemos inicialmente identificar qual o problema, ou seja, reconhecer o agente causal de um determinado sintoma na planta. Os profissionais do campo devem conhecer e identificar corretamente as principais pragas em cada cultivo. Conhecer uma praga é essencial para traçar uma estratégia de controle efetivo de cada alvo a ser combatido e preservando os inimigos naturais da praga em questão.

Outra atividade chave para o sucesso de um programa de MIP é o monitoramento. Monitorar a lavoura desde o início, antes da dessecação e/ou na instalação da cultura, até o momento da colheita, é essencial para tomar decisões efetivas não só na safra atual, mas nas outras que virão. O uso de lupas, armadilhas adesivas, panos de batida, nos dão um parecer da população de pragas presentes na lavoura e a necessidade ou não de medidas de controle com base nos níveis de dano econômico e nível de controle.

Ok, mas o que os drones têm a ver com isso?

Drones são ferramentas extremamente úteis no monitoramento da lavoura. Com eles, podemos sobrevoar grandes áreas em um curto espaço de tempo, e através das fotos capturadas, podemos gerar um mapa que nos mostra onde estão ocorrendo possíveis interferências no campo. Com o mapa em mãos, podemos ir diretamente onde está o problema e avaliar in loco qual o problema está ocorrendo naquele ponto. Tudo isso de forma rápida e precisa, disponível para análise durante todo o ciclo de produção. Além disso, podemos gerar mapas de aplicação localizada, diminuindo o uso de defensivos agrícolas, danos por amassamento, uso de combustível das máquinas, entre outros.

Nossa metodologia de avaliação consiste em:

1 - Analisar os dados gerados

2 - Correlacionar esses dados com o que está acontecendo em campo

3 - Verificar e identificar qual a interferência

4 - Estabelecer a solução

5 - Realizar novos voos para conferir os resultados

6 - Monitorar o banco de dados da safra

Se quiser saber mais sobre nossos planos de monitoramento e outras atividades, entre em contato conosco.

Grande abraço e bom trabalho!

WhatsApp bit.ly/dronagro

(55) 9 9682 8530

dronagro.adm@gmail.com

dronagro.com.br